Crianças + Livros: formando uma biblioteca para pequenos leitores de 12 a 24 meses

Lagarta Pintada Reply 22:08
Quarto post da série de atividades de estímulo à leitura para crianças.



A passagem entre o primeiro e o segundo ano do bebê acontece num piscar de olhos, justamente porque é cheia de conquistas. São as primeiras palavras, passos independentes, desfralde — praticamente uma novidade a cada dia...

A atitude dos pais com a educação começa a pesar mais a partir de agora, porque as novas conquistas também começam a exigir imposição de limites e os cuidados quase que exclusivamente pediátricos tipo comer-limpar-dormir já não são mais suficientes. Trocando em miúdos: você vai precisar de um repertório mais sofisticado para entreter seu pequeno e também de muita energia para ficar atrás dele o tempo inteiro.


Dos 12 aos 24 meses

Como a idéia por trás dessa série de posts é sugerir atividades que promovam a leitura com base no desenvolvimento infantil em cada faixa etária, tenho começado sempre com um apanhado sobre a evolução da criança em aspectos que interessam para a formação do hábito e do gosto pela leitura. Vamos lá.

Nesta idade, as crianças começam a responder a perguntas simples do tipo: "Onde...?" "Quem...?" "O quê...?" — sinal de que já entendem muito mais do que são capazes de expressar. Isso significa que o vocabulário passivo começa muito maior do que o vocabulário ativo, mas a situação vai se invertendo bem rápido: não é raro encontrar crianças de dois anos com um repertório de mais de 300 palavras!

Por isso, mesmo que o seu filhote não esteja tagarelando muito, não fique desencorajado. Muitos bebês passam por uma fase de se comunicar por meio de gestos e apontam para indicar que querem algum objeto. Mas ainda assim, eles estão aprendendo sobre as letras do alfabeto, formas, cores, animais, opostos, mesmo que não expressem verbalmente. Tem início a fase da aprendizagem de conceitos: atentos a tudo que se passa ao seu redor, os pequenos começam a construir abstrações a partir de cada experiência. Por exemplo, seu filho poderá ver um pastor alemão, depois um chihuahua e, quando você rotula cada um desses animais como cachorros, ele começa a abstrair, ou seja, criar o conceito mental de que um cachorro é um ser vivo composto por quatro patas, pelos, orelhas, focinho e rabo. Com esse conceito, ele conseguirá identificar um outro animal da mesma espécie como "cachorro", mesmo que seja de uma raça totalmente diferente das que ele já viu.

Tudo isso pode ser reforçado e estimulado com atividades de leitura. Mas, antes de seu pimpolho começar a ler de forma independente, ele vai precisar desenvolver algumas habilidades:
  • compreender a conexão entre a palavra falada e os símbolos escritos;
  • entender que cada palavra é formada por sons menores (em bom português, as sílabas!); 
  • reconhecer as letras escritas e os sons que elas indicam.


Estratégias de leitura e atividades interessantes

Não que eu esteja querendo defender a idéia de ensinar seu bebê a ler nesta idade! A filosofia deste blog é envolver os pais com a educação dos filhos para formar crianças felizes, ajustadas e não encarar a vida como uma competição em que o seu bebê tem que ser o melhor. Há algum tempo, escrevi um post sobre como eu aprendi, na prática, que essas idéias simplistas sobre estímulo da inteligência (como o método Doman) não fazem nada pelo desenvolvimento adequado de seu filho, nem o tornam uma criança mais feliz.

Por isso, ao ler para seu pequeno, concentre-se no prazer da atividade em si, no momento compartilhado. Ficar obcecado com ensino de letras nessa idade pode estancar o encantamento com a leitura já no comecinho. Se você tiver o hábito de ler com frequência para a criança, ela vai, no momento certo, começar a fazer a conexão entre sons e letras, e pode surpreender você reconhecendo até mesmo palavras inteiras... Sissi já conhece algumas.

A mais engraçada delas é "PUM". Ela se diverte porque compramos o livro Quem soltou o Pum?, editado pela Cia das Letrinhas. A história é uma sacação: um cachorrinho de estimação que se chama Pum. São vários trocadilhos, criando frases engraçadíssimas. O menino dono do cachorro não consegue segurar o Pum, que é barulhento e atrapalha os adultos; o Pum molhado, em dia de chuva, fica mais fedido... Realmente hilário! E a arte gráfica é muito legal para crianças dessa idade, pois o livro tem desenhos simples, em preto e branco, e só o cachorro é desenhado a cores, o que reforça a atenção no personagem principal.

Falando em aproveitar o prazer da leitura compartilhada: leia devagar, pronunciando bem cada palavra e usando vozes diferentes para cada personagem.

Dicas de leitura:
  • Faça perguntas usando "quem", "o quê" e "onde" — assim você interage ao mesmo tempo que estimula seu filho a refletir sobre a história, e verbalizar seus pensamentos. (Perguntas com "quando" ainda são muito abstratas para estas cabecinhas; o conceito de tempo só começa a ser desenvolvido por volta dos 3 ou 4 anos.)
  • Substitua o nome do personagem principal pelo nome do seu filho.
  • Deixe o texto do livro de lado e invente uma história da sua cabeça, apontando para as figuras e incorporando cada uma no enredo.

Livros com temas familiares tornam as atividades mais interessantes: sons de animais, objetos da casa, rotinas do dia e cantigas de roda são ótimas pedidas. Uma compra feliz que fizemos foi a Coleção "Ache o Bicho", da Cosac&Naify. São seis livros com associações de imagens entre bichos e temas, com aquelas páginas grandes, que se desdobram e revelam uma imagem surpresa. Em cada página, a criança primeiro identifica um objeto e, quando desdobra a página, acha um animal.

Eu particularmente adoro os livros com essas páginas dobráveis para bebês entre 1 e 2 anos, porque é nesta idade que a criança se diverte mais com as brincadeiras do tipo "esconde-esconde". E se o livro imita uma brincadeira desse tipo, tudo vira uma grande diversão!

Por isso, não se estresse se o pequeno quiser interromper a leitura e começar uma brincadeira de esconde-esconde de verdade. É sinal de que ele está aproveitando o momento ao máximo. Levante e vá correndo brincar.





Leia os posts anteriores: atividades para bebês até seis meses e leitura para a faixa etária de seis a doze meses.

Related Posts

ler 3935924921114296476

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Olhando no espelho

Mãe lagarta em metamorfose permanente... com família a reboque mundo afora.

Brasil, Estados Unidos, Bolívia e Emirados. Água, terra, fogo e ar.

Porque sem sair do casulo, ninguém descobre a verdadeira identidade.

Receba por email

eu apoio