Resoluções que podem fazer de você uma mãe (ou pai) melhor

Lagarta Pintada Reply 10:26

Agora é o momento de fazer as resoluções para cumprir ao longo do Ano Novo. Emagrecer, fazer mais exercício, voltar a estudar… Muito provavelmente as mesmas promessas que você já se fez no início do ano passado. Mas não pense que é só você, a maioria das pessoas passa pela mesma síndrome.
A má notícia é que muito provavelmente você não vai conseguir realizar todas as suas resoluções outra vez este ano. É comum a gente projetar mais do que é capaz de concretizar. Mas, pense bem, você não precisa ser perfeito. Você pode escolher melhorar um pouco em relação ao ano passado. Que tal se você escolhesse ser um pai ou uma mãe um pouquinho melhor?
É difícil assumir uma posição crítica porque todo mundo sempre pensa que é o melhor do mundo quando o assunto é criação dos filhos. A boa notícia é que os filhos não precisam (mesmo) de pais perfeitos. Eles também não são filhos perfeitos. O importante é que os pais aceitem, com paciência, as dificuldades dos pequenos, pratiquem a compaixão e o respeito com eles dentro de casa e, sejam humildes para pedir desculpas e se reconciliarem quando alguma coisa não der certo – e sempre tem alguma coisa que não dá...
O exercício não é fácil, porque implica exercitar uma auto-regulação do seu comportamento parental. E não isso não é tarefa para um ano, mas para uma vida inteira. Portanto, no ano que vem, não faz mal se você repetir uma resolução, você já terá dado alguns passos para educar seus filhos de forma mais serena, feliz e cooperativa.

Aqui vão algumas sugestões para ajudar nessa tarefa. 

Em 2014, prometa a si mesmo que vai...

1. Moderar mais suas emoções, para você ser um pai ou uma mãe mais feliz e mais paciente, do jeito que o seu filho merece. Comece com pequenos passos: transforme aquela vozinha crítica dentro da sua cabeça em sentimentos de apoio e respaldo. Diminua o ritmo para evitar que o estresse transborde em cima das crianças. Quando as suas emoções estão desreguladas, você passa a reagir de forma irracional e, com frequência os pequenos são os primeiros alvos. Sempre busque a calma antes de corrigir ou repreender seu filho.
Crédito: www.lifepositive.com
2. Amar seu próximo. E quem mais próximo que os filhos? Está cientificamente comprovado que as crianças que se sentem amadas são as que melhor se desenvolvem. Pense nisso. O seu filho se sente amado, sem condições ou comparações, somente pelo que ele é? Cada criança é única e especial, então é necessário um jeitinho diferente para fazer com que ela de fato se sinta amada incondicionalmente. O difícil para os pais é, de verdade, aceitar os filhos como são, sem perder de vista a função de orientar e educar. Com frequência as coisas se misturam. Para começar, procure ver as coisas pela perspectiva do seu filho. Abaixe-se e fale com ele na mesma altura, para harmonizar – ao contrário de impor -- a troca de experiências.
3. Aprofundar vínculos.  As crianças cooperam melhor quando a “liderança” do adulto flui a partir de um vínculo. Desfrutar tempo de qualidade com os pequenos deriva da capacidade de estabelecer este vínculo. Separe 15 minutos por dia para estar concentrado exclusivamente em seu filho. Observe, escute e tente entender como funciona aquela cabecinha. 
4. Investir nas causas dos problemas de comportamento do seu filho.  Se gritar ou castigar fossem formas eficientes de modificar o comportamento do seu filho, elas já deveriam ter funcionado, certo? Cada desvio de conduta da criança é uma luz vermelha que sinaliza necessidade de ajuste, quer seja porque o pequeno não é capaz de lidar com algumas emoções ou porque apresenta carências de algum tipo. Assim que você identificar e corrigir o problema na origem, o comportamento vai se modificar. Toda vez que você “atacar” o problema de forma preventiva, você evita castigos e estimula seu filho a desenvolver um sentimento positivo de autodisciplina.

E não se iluda, os erros vão acontecer. Seus e das próprias crianças. Não existem famílias perfeitas. Mas a sua pode se transformar naquela que faz escolhas diárias em direção a um convívio positivo e de respeito mútuo. Basta incorporar a noção de que é preciso manter trabalho e vigilância constantes para corrigir os rumos, que fatalmente sairão dos trilhos em algum momento. E, se você se pegar repetindo essas resoluções no Ano Novo do ano que vem, é sinal de que elas já estarão dando certo.


Feliz 2014!

Related Posts

crescer 434294286992823184

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Olhando no espelho

Mãe lagarta em metamorfose permanente... com família a reboque mundo afora.

Brasil, Estados Unidos, Bolívia e Emirados. Água, terra, fogo e ar.

Porque sem sair do casulo, ninguém descobre a verdadeira identidade.

Receba por email

eu apoio