Uma revolução silenciosa -- a ciência do desenvolvimento infantil e como ela pode nos ajudar

Lagarta Pintada Reply 14:37
Creio que é possível falar de uma revolução silenciosa na forma como se entendemos hoje o desenvolvimento infantil -- descobertas científicas recentes que estão abrindo um universo de possibilidades e de aplicações, não apenas para educadores, mas também para pais, mães e cuidadores.

É impressionante como o conhecimento sobre o desenvolvimento do cérebro humano mudou desde, por exemplo, a época em que eu estava na escola. E olha que nem faz tanto tempo assim... 

Bebês roqueiros

Lagarta Pintada Reply 02:10

Você já pensou que seu filhinho poderá gostar de ouvir Black Sabbath?

Na intenção de comemorar um mês de existência do blog, o post de hoje tem temática musical. Como sabemos, todo mundo canta para fazer bebês dormirem. Até mesmo o Marido, que tem a voz meio rouca e que nunca canta quando eu peço, de vez em quando solta a voz para acalmar Sissi em noites de fúria.

A questão é: o que você canta? Se for como a maioria dos pais e mães, imagino que sua lista inclui "Sapo cururu", "A canoa virou", "Boi da cara preta", "Há três noites que eu não durmo" (essa letra certamente inventada por alguma mãe de recém-nascido!). Aposto que no final do primeiro mês seu repertório se esgotou e você não aguenta mais entoar as mesmas cantilenas.

Já passou pela sua cabeça que o pequeno poderá gostar de dormir ao som de "Welcome to the Jungle" do Guns N'Roses ou de "Battery" do Metallica?

Come, meu filho

Lagarta Pintada Reply 22:34

O mundo parece chato mas eu sei que não é. Sabe por que parece chato? Porque, sempre que a gente olha, o céu está em cima, nunca está embaixo, nunca está de lado. Eu sei que o mundo é redondo porque disseram, mas só ia parecer redondo se a gente olhasse e às vezes o céu estivesse lá embaixo. Eu sei que é redondo, mas para mim é chato, mas Ronaldo só sabe que o mundo é redondo, para ele não parece chato.

-- ...

-- Porque eu estive em muitos países e vi que nos Estados Unidos o céu também é em cima, por isso o mundo parecia todo reto para mim. Mas Ronaldo nunca saiu do Brasil e pode pensar que só aqui é que o céu é lá em cima, que nos outros lugares não é chato, que só é chato no Brasil, que nos outros lugares que ele não viu vai arredondando. Quando dizem para ele, é só acreditar, pra ele nada precisa parecer. Você prefere prato fundo ou prato chato, mamãe?

O suco vilão e outras falácias na internet moderna

Lagarta Pintada Reply 22:37
Chamou minha atenção uma notícia que saiu semana passada na seção TodaEla do UOL. O título anunciava que "as crianças de hoje preferem outras atividades em vez de brincar ao ar livre". Curiosa, fui ler, para descobrir que a matéria tratava de uma pesquisa, que por sua vez teria sido encomendada pela empresa JCB e divulgada no jornal britânico Daily Mail. A pesquisa revelou que as crianças modernas passam apenas metade do tempo brincando ao ar livre se comparado com o tempo que os seus pais gastavam do lado de fora quando tinham a mesma idade. 

A despeito de que provavelmente exista algum fundo de verdade na afirmação -- é de domínio comum o fato de que as crianças de hoje possuem muito mais recursos de diversão e entretenimento dentro de casa do que antigamente, fiquei um pouco aborrecida com a matéria.  Ora, um estudo feito com 2000 famílias no Reino Unido, onde o número de dias ensolarados por ano é pouco maior que 60, realmente não pode ter grande validade nem relevância para a realidade brasileira. 

Atualização

Lagarta Pintada Reply 12:51
Estamos arrumando a casa e atualizando o layout do blog. Se você tiver problemas para acessar algum conteúdo, volte daqui a algumas horas, a bagunça é por pouco tempo!

Cereais na hora do almoço!

Lagarta Pintada Reply 09:25

Ultimamente, os cereais estão salvando a minha dieta aqui em casa na hora do almoço.
Depois deles, passei a ter tempo de me alimentar com calma e de escolher bem o que eu vou comer.
Milagre? Não. Arranjei passatempos com cereais para minha filha executar enquanto nós comemos e o horário do almoço voltou a ser um momento de paz...

Mãe nova, mãe velha - Episódio 1

Lagarta Pintada 3 15:18

Se você tivesse a chance de criar um filho novamente vários anos depois da primeira experiência, o que mudaria e o que faria de novo?


A melhor coisa que eu fiz: abandonei o Glenn Doman e me apaixonei pela Maria Montessori.

Para agradar a pequenos gourmets

Lagarta Pintada Reply 00:13

Hamburguer gourmet com chutney de framboesas

Outro dia estava lendo a coluna do André Barcinski na Folha de S. Paulo, sobre como a comida gourmet virou fashion. Ele caçoa, com muito bom humor, dos dois neologismos que parecem ter caído na boca do povo ultimamente.

Achei muito divertido. Barcinski observa, com propriedade, que as varandas nas churrascarias ultimamente viraram "terraços gourmet". E que tudo isso é muito fashion. Eu me arriscaria a acrescentar, no vocabulário fashion, outra palavra danadinha: o "lounge". Em todo e qualquer espaço um pouquinho mais amplo, o povo tasca umas espreguiçadeiras e o lugar passa a ser um "lounge". Nos EUA, inclusive, as espreguiçadeiras são conhecidas pelo nome de "chaise lounge", numa óbvia confusão com o original francês "chaise longue"...


Mundo afora: Toy Story, por Gabriele Galimberti

Lagarta Pintada 3 22:24

Bolthe vive em Botswana e seu único brinquedo é este macaco de pelúcia. 
Mas ela gosta mesmo é de brincar com os amigos na rua.
Hoje é Dia das Crianças aqui na Bolívia. Saio pelas ruas e penso que viver em um país que tem muitas dificuldades é um convite à reflexão. Uma breve comparação entre a vida das crianças aqui e nos EUA (onde vivíamos antes) revela o contraste: um mundo de excessos de um lado, uma certa sabedoria de viver com pouco, de outro.

Já mencionei em outro post as lições que podemos tirar da relação de crianças de diferentes lugares do mundo com seus brinquedos. Ontem, por acaso, descobri o trabalho do fotógrafo italiano Gabriele Galimberti, que me deu mais motivos para pensar na forma sobre como modelamos o comportamento e a índole dos nossos filhos por meio dos presentes que damos -- ou deixamos de dar.

Galimberti decidiu sair mundo afora fotografando crianças com seus brinquedos. Durante os 18 meses que levou para completar o projeto ao qual deu o nome de Toy Story, chegou à conclusão de que, embora as crianças de toda parte sejam iguais em que queiram apenas brincar, a forma como brincam varia muito.

Praga de mãe pega

Lagarta Pintada 2 09:01

Sou prova viva de que isso é verdade. Minha desventura já dura 17 anos, desde que LL nasceu. Mas a praga me pegou quando eu ainda era criança. Foi mais ou menos assim: eu nunca fui de comer muito (com exceção da segunda gravidez, quando engordei 30 quilos!) e minha mãe, que criava duas filhas sozinha, trabalhava fora e não tinha praticamente quem ajudasse, é uma pessoa muito preocupada (para usar um eufemismo e não ferir os brios maternos) com alimentação.

Na casa dela, quando éramos pequenas, não tinha essa conversa de não querer comer isso ou aquilo. Eram os anos 80, inflação de 100% ao mês. Ninguém podia ir ao supermercado várias vezes. Portanto, desperdício de comida, impensável! Iogurte, só uma cartela por mês. Requeijão, no máximo três potes! E por aí vai… Pois bem, tanto eu como minha irmãzinha não éramos, assim, fanáticas por comida. Especialmente comida de panela. Eram horas na frente no prato, fazendo guerrinha de arroz, ou simplesmente uma olhando para a cara da outra, com a comida toda enfiada na bochecha, sem engolir nem querer a colherada seguinte.

A "solução final" e outros métodos para fazer seu bebê dormir

Lagarta Pintada 3 10:58

Chegamos de viagem ontem de volta à Bolívia. Depois de quase 24 horas viajando, duas conexões, é claro que estávamos todos exaustos.  Sissi dormiu pessimamente e, claro, nós também. Para começar, tivemos que recorrer ao velho truque das voltinhas de carro no quarteirão para que ela pegasse no sono. Aqui em casa, este expediente foi batizado com o simpático codinome de "solução final". Por dois motivos: 1) só  recorremos a ele nos casos mais extremos de relutância contra o sono e
2) procuramos usar um nome que não associasse a idéia de carro à de sono, com medo de que nossa estratégia fosse rapidamente descoberta e nos tornássemos escravos da bendita "solução final"...

Se você acredita que já tentou tudo para fazer seu bebê dormir...

Sopa de letrinhas na educação brasileira

Lagarta Pintada 2 22:23

Em tempos de redações do ENEM que apresentam receita de miojo - numa clara tentativa de burlar o sistema e sair-se bem com pouco esforço, mais do que ponderar sobre a má qualidade da educação brasileira, penso que é necessário refletir de forma mais ampla sobre os sintomas que reiteradamente sinalizam a falência múltipla dos órgãos do ensino em nosso país, tanto público quanto privado.

Acredito firmemente que em uma sociedade democrática, os pontos fracos e fortes correspondem àquilo que o povo coletivamente valoriza ou relega a segundo plano. Ou seja, se temos educação de má qualidade, é porque infelizmente nossa sociedade não vê na educação um valor mais importante do que, por exemplo, a distinção social conferida pelo título acadêmico. Pois é um fato que nos últimos anos multiplicaram-se os números de cursos universitários no País, ao passo que na comparação com o nível educacional em outras nações, os índices brasileiros são vergonhosos, atrás de vizinhos como Chile e Argentina. Repito, a conclusão só pode ser uma - interessa mais ao cidadão médio ter um diploma do que efetivamente adquirir educação.
Que diagnóstico podemos fazer diante do ato deliberado de um estudante que, para passar em uma prova de redação, escolhe inserir um trecho de receita culinária ou de hino de clube de futebol em sua redação?

Know-how cearense

Lagarta Pintada Reply 18:22
O bercinho Hushamok foi eleito pela família Jolie-Pitt
Foi assim, fuçando na internet, que eu me deparei com o berço em formato de rede. Badalado como inovação no universo do sono infantil, o híbrido entre berço e rede teria a capacidade de promover sono mais relaxante, profundo e ainda estimular as funções cognitivas, de acordo com o estudo feito por pesquisadores da Universidade de Genebra. Outras fontes de estudo confirmam que o balançar suave, similar ao que os pais proporcionam ao acalentar o filho, tem potencial de estimular o desenvolvimento cognitivo e motor dos pequenos, pois estimula o sistema vestibular da criança; há várias pesquisas científicas sobre a importância do estímulo vestibular e proprioceptor para o desenvolvimento dos bebês (mais pra frente pretendo fazer um post sobre este tema). Agora, os neurocientistas suíços chegaram à conclusão de que o gingadinho da rede faz bem também aos adultos, permitindo um sono mais tranquilo e com atividade cerebral reparadora.


Com tantas vantagens, não é de se estranhar a existência de uma "febre" do berço-rede nos países desenvolvidos, onde a idéia de "redescobrir conceitos de sabedoria ancestral" tem apelo de marketing fortíssimo. Um modelo chamou minha atenção em particular: Hushamok Organic Hammock. Feito com algodão orgânico, não tingido, o bercinho se dependura em um suporte todo bacana, que é confeccionado em madeira sustentável, cheio das nove horas. Brad Pitt e Angelina Jolie, supostamente, adquiriram um par desses acessórios para acomodar seus gêmeos quando vieram ao mundo. O preço? Cerca de 500 dólares, se considerados berço e suporte juntos.

Kindle for mommies 1.0

Lagarta Pintada 2 17:09

Não pretendo me dedicar a fazer avaliações e comparações de acessórios techie, nem de longe me considero uma expert no assunto. Mas, fiel à minha proposta de buscar soluções que realmente facilitem a vida de pais e mães - cada vez mais ocupados, e culpados! - pela falta de tempo e agruras do dia-a-dia, acho que falar de um gadgetzinho de vez em quando faz todo o sentido. Este não chega a ser nem novidade, mas vale a pena ressaltar as inúmeras vantagens do Kindle para mamães e papais atarefados. Ele é o meu amigo inseparável das salas de espera de fonoaudiólogas, dentistas e afins!

Para os mais tecnofóbicos, uma pequena descrição do produto: o Kindle é o leitor digital (ou e-reader) desenvolvido e vendido pelo popular site de compras norte-americano, Amazon.com. Está disponível em dois modelos: como leitor digital apenas ou também como tablet, em que agrega outras funcionalidades, tais como editor de texto, acesso à internet etc. (Para uma comparação geral entre tabletse-readers, veja este artigo da TecMundo). Aqui, me concentro nas características do leitor apenas, que é o que basta para uns minutinhos de leitura (e paz de espírito) por dia...

Design é tudo!

Lagarta Pintada Reply 12:12

Eu adoro design. Sempre gostei. Ultimamente, depois que fiz um curso à distância sobre design de criação de artefatos, passei a apreciar ainda mais a capacidade revolucionária do design na vida moderna. 

Quando pensamos em design, normalmente, imaginamos um produto com aparência diferenciada, moderno ou esteticamente mais atraente. Mas em realidade o design permeia a concepção de todo e qualquer produto e, pasmem, de serviços também. Com a possibilidade de oferecer produtos e serviços com cada vez mais recursos, o consumidor também passou a se tornar cada vez mais exigente. Isso faz do design uma ferramenta imprescindível no mundo empresarial moderno e que significa, cada vez mais, a diferença entre o fracasso e o sucesso de uma marca.

Meu foco neste momento recai sobre os aspectos de design que muitas vezes nem percebemos como tais, mas que fazem a diferença "da água para o vinho" no uso de um produto. São muitas vezes responsáveis pelo que se convencionou chamar "wow factor" em inglês: aquele recurso do produto que conquista o consumidor pela originalidade, inventividade e diferença, mesmo que nem esteja atrelado à função original que o produto desempenha. Mais ainda, me interessam aqueles recursos que provocam o "wow" sem nenhum apelo à tecnologia - são resultantes da criatividade e engenhosidade, da rejeição à idéia do "a gente sempre fez assim…". 

Tecnologia do Blogger.

Olhando no espelho

Mãe lagarta em metamorfose permanente... com família a reboque mundo afora.

Brasil, Estados Unidos, Bolívia e Emirados. Água, terra, fogo e ar.

Porque sem sair do casulo, ninguém descobre a verdadeira identidade.

Receba por email

eu apoio